“A despedida da companheira”

0
880

Um dia após participar de um longo papo virtual com o Coletivo Foque, o escritor e folclorista Gutenberg Costa voltou a expressar nesta quinta-feira (26/8) a sua preocupação com a cultura popular e os artistas depois de presenciar tal situação de abandono.

 
“Hoje pela manhã, com a barba muito longa, fui até ao meu amigo barbeiro Luiz, do Centro de Nísia Floresta. Jovem sanfoneiro e músico. Chegando lá tomei conhecimento que o mesmo, por estrita necessidade, teve que vende-la. Estava se despedindo de sua querida companheira. Este sanfoneiro, meu amigo, está passando o mesmo que os artistas populares e desconhecidos estão passando no rico RN. Não pude fazer nada a não ser sugerir um vídeo improvisado com esse amigo artista que teve que se desfazer de seu instrumento de trabalho e lazer. Sua companheira querida musical. Que situação triste!”, relata o folclorista acrescentando que é muito difícil apoio nesse estado.
Impossibilitados de trabalhar durante a pandemia, fazedores de cultura estão passando por dificuldades. Muitos artistas, como o sanfoneiro e músico Luiz, não contam com o apoio governamental e editais como a Lei Aldir Blanc não chega a todos, especialmente aos fazedores da cultura popular que tropeçam no papelão da burocracia. Na luta pela sobrevivência, uma grande parte que é ignorada pelo poder público é obrigada a trabalhar em outras atividades e vendem seus equipamentos. “É complicado, botam burocracia e dificuldade. Eu estou arrasado com a situação por mim presenciada hoje pela manhã. Ver de perto um artista vender seu instrumento de ganha pão e não puder fazer nada”, declara Gutenberg Costa.
»Confira o vídeo que mostra “a despedida da companheira”

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here