O chargista Rodrigo Brum sintetiza em seu rabisco o Raio X da Covid-19 no Brasil, uma rotina trágica que já registra mais de 300 mil mortes no período de um ano.

 

por Rogério Marques

 

Uma infinidade de covas tomou conta do chão do país que bate o recorde do recorde de óbitos dia após dia. E o número de contaminados cresce desesperadamente junto com a fila de pacientes que aguardam por um leito de UTI.
Até as 20h desta quarta (24/3), 301.087 brasileiros/brasileiras morreram em meio ao colapso do sistema de saúde com seus hospitais superlotados e ameaça de faltar oxigênio e medicamentos essenciais.
“Parece que estamos em um filme de guerra, mas a diferença é que não é ficção, é vida real nua e crua”’, declarou a técnica de enfermagem Kelly Jane, diretora do Sindsaude/RN e servidora da UPA de Cidade Satélite, na Zona Sul de Natal. Ela desabafa sobre o fato de um paciente ficar em um ponto de oxigênio do lado de fora da UPA.
“Nós profissionais de saúde já somos sobrecarregados, não temos pessoal suficiente para cuidar de quem tá dentro da UPA, que dirá do lado de fora. A que ponto a gente tá chegando, a que custo as nossas vidas estão valendo?”, questiona. Na sua opinião, a responsabilidade desse descaso é da gestão. “Esse é o preço que a gente tá pagando pelas medidas flexíveis demais durante as eleições, ano novo, carnaval. Então, a conta tá vindo agora e quem tá pagando somos nós trabalhadores que estamos cansados, sobrecarregados. A gestão expõe as pessoas ao vento, ao deus dará, e expõe nós profissionais ao erro. Onde está o programa de humanização do SUS? Se perdeu a dignidade humana. Por isso lutamos para que todo mundo seja vacinado”.
Manifestações de protesto estão unindo todos os setores da sociedade pelo “Fora Bolsonaro”. Esse governo criminoso que vive sabotando todas as medidas de combate ao coronavírus, impediu a compra de vacinas e se nega a pagar um auxílio emergencial digno para quem mais precisa. Enquanto isso, remete bilhões de reais para os banqueiros e grandes empresários.
A pandemia só avança deixando um rastro de luto e sofrimento. Segundo o cientista Miguel Nicolelis, da Universidade de Duke (EUA), a Covid-19 já começa a causar grandes tragédias, também, com bebês recém-nascidos e mulheres grávidas. Mais do que nunca essa nova variante do vírus precisa ser combatida com políticas sérias, como o lockdown nacional rígido sugerido pelo Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), além de um auxílio emergencial digno e vacina para toda a população.
Enquanto isso não vem é preciso cantar a canção da guerrilha…
Só pra fazer mostrar
Ao povo sofrido
O momento preciso
De se fazer lutar