por Altamiro Borges

 

O apresentador Carlos Massa, o repulsivo Ratinho do SBT, adora posar de ético e patriota. Mas é um oportunista, metido em inúmeros trambiques, que usa concessões públicas de rádio e televisão para enriquecer e ludibriar os mais ingênuos. Segundo o site UOL, ele agora voltou a defender um golpe militar para “limpar” o país.
A defesa da intervenção militar, “igual a de Singapura”, foi feita durante o programa “Turma do Ratinho”, na rádio Massa FM – que é de sua propriedade. Ele também desqualificou o funcionalismo público, propôs “limpar as ruas” dos mendigos e atacou a imprensa mais crítica. Ratinho não esconde mais que é um miliciano bolsonarista.

Disney com pena de morte

“Eu sei que o que vou falar aqui pode até chocar, mas está na hora de fazer igual se fez em Singapura. Entrou um general, consertou o país e, um ano depois, fez eleições. Mas primeiro consertou, chamou todos denunciados e disse: ‘vocês têm 24 horas para deixar o país ou serão fuzilados’. Limpou Singapura”, guinchou Ratinho.
Como registra o UOL, o jagunço do SBT se referia à ditadura de Lee Kuan Yew, que foi primeiro-ministro de Singapura por 30 anos e “manteve um duro controle das liberdades individuais, como punição para a homossexualidade, pena de morte para alguns crimes e a chibatada como forma de punição”.
“O país chegou a receber a alcunha de ‘Disney com pena de morte’ pela sua controversa expansão econômica, mas não democrática”, enfatiza o site. O falso moralista Ratinho, que diz gostar de ditaduras, talvez levasse umas chibatadas em Singapura, já que coleciona várias denúncias de corrupção e irregularidades.

Dívida tributária e trabalho escravo

Em outubro de 2017, por exemplo, a Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional, órgão vinculado ao Ministério da Fazenda, promoveu uma blitz contra o empresário Ratinho. “Justiça busca bens para quitar uma dívida tributária de R$ 74 milhões referente ao Imposto de Renda. Entre os bens penhorados para garantir o pagamento da dívida está uma fazenda no Acre, avaliada em R$ 225 milhões. A Justiça também determinou à Agência Nacional de Aviação Civil que informe as aeronaves em nome dele”, detalhou a revista Época naquela ocasião.
Já em meados de 2016, Ratinho foi condenado pelo Tribunal Superior do Trabalho (TST) a pagar multa de R$ 200 mil por manter funcionários em situação análoga à de escravidão. A Fazenda Esplanada, que fica em Limeira do Oeste (MG), foi flagrada pelos fiscais do TST desrespeitando normas básicas de trabalho – falta de equipamentos de segurança, refeitório inadequado, ausência de registro profissional, entre outros crimes.
O apresentador do SBT é reincidente em trabalho escravo. Ele já havia sido condenado a pagar multa de R$ 1 milhão pelos mesmos motivos em uma ação da Justiça do Trabalho de Minas Gerais, depois que o Ministério Público do Trabalho (MPT) em Uberlândia ajuizou uma Ação Civil Pública (ACP) contra ele.