A coordenadora geral do Sinasefe Natal, Nadja Costa, durante ato na reitoria. Foto: Assessoria do sindicato

Estudantes, professores e servidores do IFRN realizaram na manhã desta terça-feira (17/11) mais um ato contra a intervenção em frente à Reitoria.

Um golpe do presidente Jair Bolsonaro, através do Ministérios da Educação, que há 7 meses empossou um reitor biônico, violentando a autonomia da comunidade escolar e transformando a instituição de ensino em aparelho ideológico do seu governo. A medida, que se repetiu em vários institutos federais e universidades pelo país afora, despreza a nomeação de reitores eleitos democraticamente.
Apesar do pesadelo, a comunidade não baixou a cabeça e resiste às medidas abusivas e irregulares praticadas pela gestão ilegítima. O objetivo de toda essa onda de violações contra os direitos e a democracia é destruir a autonomia de universidades, institutos federais e centros de educação tecnológica. Um passo-a-passo para sucatear a educação pública e favorecer o setor privado.
Corte de verbas, ameaças e perseguições a estudantes e professores, ataque à Ciência e à liberdade de expressão. Atitudes antidemocráticas que só reforçam a mobilização e disposição de luta demonstrada a cada ato contra a intervenção e pela posse do reitor eleito.