O título acima faz parte da cantiga “Passaredo”, de Chico Buarque & Francis Hime, como num aviso para “fugir do homem” que vem causando tanta ameaça ao planeta terra e seus habitantes.

O alerta caiu bem no meio dessa matéria, que ao contrário de calar o bico decidiu dar voz à comunidade de Enxu Queimado, tendo como princípio básico os direitos humanos. “O italiano chegou derrubando a cerca de dois moradores idosos da comunidade sem nem chamá-los pra conversar, chegou simplesmente dizendo que a terra era deles e saiu destruindo tudo junto com um segurança armado”, conta Leonete Roseno, representante dos moradores.
Cenário da destruição. Foto feita pelos moradores
Diante da destruição das cercas e plantações dos posseiros uma comissão de moradores registrou Boletim de Ocorrência (BO) na Delegacia Municipal de Pedra Grande (RN) nesta quarta-feira (11/11) e comunicou os fatos ao Comitê Estadual de Conflitos Fundiários. “Mais uma cerca levantada, reconstruída de novo”, afirma outra moradora numa demonstração de resistência às intimidações.
A cerca levantada do chão representa a brava bandeira da luta empunhada por agricultores e agricultoras, pescadores e pescadoras em defesa dos seus territórios tradicionais, ora ameaçados pela usura da especulação imobiliária.

» Para entender o caso leia também: Enxu Queimado: entre ameaça de despejo
e a luta de resistência