Francisco Felipe de Oliveira é professor e psicanalista

 

Há anos venho insistindo na educação ambiental, saúde e boa convivência na escola, creio que devido a insistência fui até tomado como louco ou fanático, mas está aí a realidade, mais do que nunca precisaremos de Educação ambiental, saúde, boa convivência nas escolas e na sociedade.
Estamos na era dos vírus, a Terra está doente e nós também, é preciso construir novos paradigmas, o ser humano levou o “progresso” industrial ao extremo, seja no capitalismo de mercado, seja no capitalismo de estado (comunismo) há uma incoerência em relação ao uso dos recursos naturais.
Estamos vivendo um apocalipse de época, várias civilizações já se autodestruíram devido ao mau uso dos recursos naturais, seja as civilizações da América Central, seja as civilizações do Norte da África, seja Ilhas como a Ilha de Páscoa no Oceano Pacífico onde houve uma escassez dos recursos naturais levando a catástrofes sem igual. O aquecimento global, o desmatamento sem limites da Floresta Amazônica, a agricultura e a economia baseada no lucro desenfreados estão destruindo a nossa “nave mãe”.
Nosso sistema agoniza, isso se reflete em megacidades poluídas, empilhadas de pessoas morando em cubículos, com problemas mentais e emocionais, exércitos de pessoas descartadas pela produção, pessoas sem acesso aos meios básicos de vida e subsistência. O que esperar desses tempos que vivemos a não ser o caos?
As grandes cidades se tornaram manchas na paisagem planetária, fonte de calor, desarmonias sociais. As riquezas se concentram nas mãos de poucos, enquanto a grande maioria tem que repartir o que sobra. A sociedade baseada no mercado vende tudo, tudo é adquirido a dinheiro, da água ao direito de andar no espaço urbano.
Infelizmente, não se deu ouvidos aos profetas de nossa época, os ambientalistas, agora estamos pagando o preço que talvez seja até a extinção ou a redução a níveis drásticos da raça humana. O que vimos há alguns dias de isolamento social foi a natureza se reapropriando de seus espaços, o planeta e a natureza vão agradecer.