Por Coletivo Foque | Fotografia: Taian Marques

13236219_1054613814645782_1478934444_nAgentes comunitários e de endemias de todo o Brasil paralisaram suas atividades nesta quarta-feira (18/5).

13235948_1054613807979116_497389096_n Segundo o presidente do Sindicato dos Agentes de Saúde no RN, Cosmo Mariz, a atividade convocada pela Confederação Nacional dos Agentes Comunitários de Saúde (Conacs) tem o objetivo de alertar o Ministério da Saúde que não abrimos mão do reajuste do piso nacional, congelado há mais de dois anos.

Ele aponta que tem outros direitos da categoria que vem sendo desrespeitados. “Hoje o objetivo do ato é o dia D em defesa dos direitos dos agentes comunitários e de endemias. Não iremos calar, se porventura o Ministério da Saúde não nos ouvir, poderá ocorrer uma greve geral em todo o Brasil e, infelizmente, os serviços do SUS irão parar, pois sem os agentes os serviços de saúde não funcionam nas unidades e nem no combate à dengue”, declarou.

Cosmo Mariz explica ainda que no RN, graças ao sindicato que diariamente está cobrando, o piso nacional 2014 está garantido em todo o estado. “Mas não é apenas o salário de 2014 que queremos, temos a gratificação do PMAQ, que também é um recurso federal, queremos o repasse do incentivo adicional do Ministério da Saúde e, queremos acima de tudo, que o gestor local respeite os agentes comunitários e de endemias”, completou.

Depois de se concentrarem em frente à sede do sindicato, no centro de Natal, os agentes de saúde organizados pelo Sindas/RN caminharam até a Assembleia Legislativa do RN, depois seguiram para a sede do Ministério da Saúde, onde realizaram mais um protesto.