Espetáculo idealizado por Titina Medeiros, Meu Seridó percorrerá diversos bairros de Natal

49

O sertão que vibra, pulsa e faz viver. O sertão das mulheres esquecidas e das mulheres que sonham. O não lugar, como escreveu Guimarães Rosa, o sertão que é seca e água, e é também o espaço da imensidão. Com fortes questões norteadoras, o espetáculo Meu Seridó traz a condição da mulher no sertão, a extinção do indígena em detrimento do boi e a desertificação, na luta diária pela sobrevivência como força bruta do ser.

Sonhado pela atriz Titina Medeiros, a peça tem direção de César Ferrario e texto de Filipe Miguez (autor da novela Cheias de Charme). Como o próprio autor escreveu: “A nossa história acontece em algum lugar entre a realidade, o delírio e a nostalgia”.

Acompanhada pelos atores Nara Kelly, Igor Fortunato, Caio Padilha – assinando também a trilha sonora – e Marcílio Amorim, Titina fez ao lado da equipe uma árdua pesquisa histórica, conduzidos pela historiadora Leusa Araújo, através de imersões no próprio Seridó. Natural de Acari, Titina sonhou com esse espetáculo por anos, reunindo as suas vivências e coragem para retirar do próprio solo a história de vida de muitos sertanejos.

Para o diretor César Ferrario, a narrativa é constituída por uma linguagem de cunho popular para chegar em todas as pessoas e lugares, e tem uma estrutura que permite a montagem em ruas, fazendas, praças e diferentes paragens.

“A nossa narrativa não tem um compromisso histórico. Ela tem seu início através de uma menção ao plano mítico do Seridó, onde o Sol e a Terra disputam o amor de Chuva, uma fábula muito coerente com as questões que atravessam toda a história de qualquer lugar sertanejo e seu imaginário. A partir disso, ela transita pela história do Seridó em seus espelhamentos terrenos, desde a chegada do homem andino até a vinda do vaqueiro e do português. O entrelaçamento dessas raças perpassa as história que vão sendo contadas ao longo do espetáculo”, conta César.

Personagens como José de Azevedo Dantas, Pajé Cuó, o português Rodrigo de Medeiros, a Maria Paraibana e Josefa Menina são as personificações da história que transpassa o imaginário da região.

A força do texto está nos personagens, como a fala de Maria Paraibana que diz: “Tu vai crescer neste meio, no seio de nossa família. Neste arquipélago seco, cada sítio é uma ilha. Neste clima inóspito e esdrúxulo, teremos de nos bastar/Numa casa de taipa sem luxo, nem acesso ao copiar. Tu vai viver só restrita à sala das mulheres/E passar o dia e a vida tomada por mil afazeres/Rendas, bordados, costuras serão tua eterna lida”.

São essas questões, forças e vidas que estão bordadas num figurino, cenografia e caracterização assinados por João Marcelino, parceiro de longa data de Titina com quem trabalhou no grupo “Tambor” ainda na década de 90. A iluminação é feita por Ronaldo Costa.

Na tentativa de estabelecer um diálogo com a sociedade sobre desenvolvimento sustentável e preservação do meio ambiente, “Meu Seridó” ainda conta com a parceria da ONG Sou do Amor, por meio do projeto “Sementes do Amor”. Em cada apresentação, sementes nativas serão distribuídas para o plantio, estimulando a arborização dos espaços públicos.

SOBRE A CASA DE ZOÉ – produtora do espetáculo

Meu Seridó marca a estreia da produtora “Casa de Zoé”, uma idealização de Titina e César, com o propósito de realizar ações culturais nas áreas das artes cênicas, música e audiovisual. A Casa de Zoé já tem novos projetos encaminhados para 2018, além da circulação do “Meu Seridó”.
Ocupar os espaços das cidades e das zonas rurais com espetáculos, cinema, música, teatro é o que busca abarcar a produtora de cultura. “Temos grandes artistas no Rio Grande do Norte, com trabalhos consistentes, que carecem de espaços de trabalho. E temos um público carente de consumir arte e cultura. A Casa de Zoé será um lugar de experimentações e oportunidade”, reforça o ator e diretor César Ferrario.

SERVIÇO:

Espetáculo Teatral MEU SERIDÓ – Realização da produtora Casa de Zoé

30/11 – Estreia TECESOL – Neópolis
01/12 – Casa do Mestre Manoel Marinheiro – Felipe Camarão
02/12 – Praça da Igreja – Cidade Esperança
03/12 – Praça André de Albuquerque – Cidade Alta
14/12 – Espaço Cultural Jesiel Figueiredo – Gramoré
15/12 – Área de lazer do Panatis – Panatis
16/12 – Praça Henrique Carloni (Disco Voador) – Ponta Negra
17/12 – Praça Cívica – Petrópolis
Horário: 18h00
Mais informações: www.casadezoe.com.br
ACESSO GRATUITO

APOIO:
Fast Frame Natal
Inter TV Cabugi
Ocean Palace Beach Resort & Bungalows
Comjol
Grupo Estação de Teatro
Ginga Filmes Produções
98 FM Natal
SBS Outdoor
ONG Eu Sou do Amor
Conexão Felipe Camarão
Digisound Produções
Poti Restaurante
Restaurante Camarões
Domino’s Pizza
Flor De Sálvia
ABOCA Cultural
Chocolateria Sandra Maia

REALIZAÇÃO:
Casa de Zoé

PRODUÇÃO:
Casa de Zoé
Bobox Produções
Trama Produções

EQUIPE TÉCNICA MEU SERIDÓ:

Direção: César Ferrario
Dramaturgia: Filipe Miguez
Elenco: Titina Medeiros, Nara Kelly, Caio Padilha, Marcílio Amorim e Igor Fortunato
Direção de arte: João Marcelino
Direção musical: Caio Padilha
Historiadora: Leusa Araújo
Design de luz: Ronaldo Costa
Cenotécnico: Rogério Ferraz
Produção executiva: Arlindo Bezerra
Produção artística: Titina Medeiros
Assistência de produção: João Paulo Isnard
Produção de captação e permutas: Marcílio Amorim e Diana Fontes
Assistente de direção e direção de movimento: Dudu Galvão
Filmmaker: Carito Cavalcanti
Fotografia: Brunno Martins
Equipe de cenotécnica e montagem: Janielson Silva e Sandro Paixão
Operação de luz: Janielson Silva
Operação de som: Rogério Ferraz
Assistência de figurino: Pierre Keyth
Modelista e costureira: Fátima Rocha
Costureira: Sigeane Borges da Silva
Stand in: Ananda Krishna
Designer gráfico: Rodrigo dos Palmares
Release: Michelle Ferret
Comunicação: Bethise Cabral
Social media: Danina Fromer

Fonte: Papo Cultura

Compartilhe