Companhia carioca apresenta espetáculo gratuito em Natal e Parnamirim essa semana

46

O coletivo Du’velhomoço Criações, da cidade do Rio de Janeiro, realiza apresentações do espetáculo “Querência quer ver o mar” na estado do Rio Grande do Norte. Serão duas apresentações, sendo nesta sexta, às 18h, no Teatro Municipal de Parnamirim, e neste domingo, às 10h, no Parque das Dunas, em Natal.

Sinopse

Querência é uma menina cega, negra e pequena, que vive no bravo sertão. Sua falta de visão é compensada por sua infinita imaginação, pois Querência inventa para si um mundo muito diferente do seu, fantasiando histórias, cores, brincadeiras e amigos brincantes imaginários.

Um dia, seu pai avisa que vai trabalhar nos rumos do mar, logo após sua mãe também segue cheia de saudades em busca do pai, ficando assim com sua querida avó, mas a saudade aumenta tanto que ela quer encontrar os seus pais. Assim começa sua jornada em busca de preencher a sua saudade em busca dos seus pais.

Para alcançar seu desejo, ela conta com a ajuda dos seus amigos brincantes do sertão, seres meninos imaginários, numa extraordinária jornada, vencendo obstáculos e barreiras, trazendo a força dos sonhos e assim, reencontrar nesses rumos de mar os seus pais.

Sobre o Espetáculo

Querência é dessas histórias que servem para crianças e adultos, porque fala de querer bem, desse querer de ter e realizar um sonho. Da necessidade urgente em garantir à criança e ao adulto o seu direito ao espaço do sonho, do impossível, do infinito, para que nunca deixem de gostar e acreditar nas histórias, causos, fábulas e nas suas querências de afetos.

A história fala também de como ser criança e poder construir um mundo futuro, cultivando a esperança, a diversidade, as diferentes formas das relações humanas do hoje, enxergando um mundo além e possível para todos.

O coletivo Du’velhomoço Criações partiu de uma pesquisa de articulação do fazer cênico voltado para crianças para chegar numa mistura híbrida de teatro-circo-movimento, onde a manifestação da arte popular, danças do cavalo marinho, o coco de roda, o baião, o xote, as referências do Maracatu, e o teatro de rua, as formas de teatro com bonecos e objetos se misturam à terra, ao som e ao mar. Um convite para uma jornada ao extraordinário universo da sonoridade, corporeidade e arte que pulsa e habita em cada um de nós!

Origem

O espetáculo nasce de uma pergunta: qual a diferença entre “querer” e “querer bem”? Para nós, querer é vontade, mas o querer bem envolve também afeto, desejo e sonho. Esse querer que a gente sente com infinitude de mundo, que se desabrocha no dia a dia, e que nasce do nada dentro da gente, tudo isso é uma Querência. E foi a partir dela que nos guiamos.

É uma Querência de que as coisas da vida ganhem outros sentidos, de ver as coisas com outros olhos, de ouvir de outros modos o ritmo da dança de sua gente. É brincar de sonhar em ser o que quiser, é tomar coragem para enfrentar uma jornada e encontrar o mar e libertar a ausência de seus dias sem abraços.

A história de Querência se mistura ao nosso querer bem de juntar nossas experiências de vida, de nossas saudades de sertão, de nossos avós, das histórias antigas de tempos e lugares que se misturam a nossa imaginação. Articulando as trajetórias pessoais, para pensar o teatro como forma de ver, olhar o mundo com outros olhares, a partir dessa vivência e inspiração de ter uma atriz cega em nossa trupe.

Ficha técnica

Realização: Du’velhomoço Criações
Texto: Berg Farias
Artistas: Ana Luiza Farias, Berg Farias, Gabriel Breves e Maria Azevedo.
Preparação circense: Alexandre Santos.
Figurino: Berg Farias.
Maquiagem máscaras: Maria Azevedo.
Arte e design gráfico: Maria Azevedo.
Concepção geral e direção: Berg Farias.

SERVIÇO

Querência quer ver o mar – Circulação Rio Grande do Norte
Dia 06 de Outubro – Teatro Municipal de Parnamirim – 18hs
Dia 08 de Outubro – Parque das Dunas- Bosque Encena – 10hs.
Entrada: Gratuita.

Fonte: Papo Cultura

Compartilhe