Por Coletivo Foque | Fotos: Arquivo/Sinsenat

A jornada de lutas dos(as) servidores(as) municipais de Natal segue firme pela força da unificação. Podemos dizer como o cantador popular Beto Guedes, Vamos precisar de todo mundo, um mais um é sempre mais que dois.

Para fortalecer ainda mais essa unidade das categorias, nesta quarta-feira (14/03) foi realizada mais uma importante atividade da agenda de luta. O ato público que iniciou na Praça Tamandaré seguiu pelas ruas do centro da cidade rumo à Câmara Municipal.

Em meio aos protestos, muitos cartazes deram o tom das denúncias sobre os abusos administrativos do prefeito Carlos Eduardo, como o descumprimento da Lei da Data-Base e do abono salarial.

Na Câmara Municipal, além de denunciar o desrespeito do prefeito com as diversas categorias, os(as)s servidores(as) manifestaram apoio ao pedido de urgência da vereadora Natália Bonavides ao projeto que visa instituir o Dia Municipal de Combate ao Assédio Moral nas Repartições Públicas. Esse Projeto de Lei é fruto da luta do Sinsenat contra a prática de assédio moral nas secretarias do município.

O objetivo é criar a Lei Ailton Re-Vidar Aurora, marcando o dia 12 de março como símbolo da luta contra o assédio moral. Essa é a data da morte do assistente social Ailton Maciel, que desejava ser a assistente social Maria Aurora, vítima do preconceito e da opressão.