Reunidos na manhã desta quarta-feira (05/02), no auditório do Sindicato dos Trabalhadores em Educação – Sinte/RN, o Fórum Estadual dos Servidores decidiu não participar da audiência que estava marcada com a equipe econômica do governo do estado. Os motivos foram esclarecidos durante a coletiva de imprensa ocorrida na tarde do mesmo dia no auditório do Sindicato dos Policiais Civis.

 

Logo no início da coletiva Janeayre Souto, presidente do Sindicato dos Servidores da Administração Direta – Sinsp/RN, afirmou que “O fórum estadual dos servidores é contra a PEC que reforma a Previdência do nosso estado, por taxar servidores aposentados, aumentar as alíquotas, aumentar o tempo de permanência de serviço e atacar as pensões.

Ela esclarece que o fórum esteve presente em várias reuniões com o governo e não houve avanços, ao contrário, só retrocesso. Além disso, a governadora não esteve presente em nenhuma reunião. “O nosso diálogo agora passa a ser com o legislativo”, adiantou Janeayre ao denunciar que a governadora Fátima Bezerra vai encaminhar uma proposta para a Assembleia Legislativa sem dialogar com os servidores.

Segundo o presidente do Sinpol/RN, o governo não está negociando, mas impondo condições aos servidores sem apresentar nenhum estudo sobre a proposta de reforma da Previdência. “Parece até uma jogada comercial, eu te dou esse preço e se você reclamar muito eu baixo um pouquinho. Eu acho que servidor público não é um produto, são vidas humanas”.

“É necessário que o governo seja transparente, é necessário que se abra a caixa preta da previdência”, destaca Janeayre, afirmando que o rombo da previdência somente será sanado com a realização do concurso público. “Até 2022, noventa e dois por cento dos servidores estarão aposentados ou aptos a se aposentar. O estado não pode ter 14 mil trabalhadores terceirizados”.

Para o coordenador do Sindsaude/RN, Breno Abbott, a entidade se mantém contrária à reforma da Previdência e não negocia retirada de direitos. “O rombo na previdência não foi a gente que fez, foram os governos. Que tirem dos responsáveis”, declarou.

O fórum volta a se reunir na próxima segunda-feira, dia 10, no auditório do Sindsaude para planejar os próximos passos da luta contra a Reforma da Previdência.