Durante o Ato Humano pela Vida, que ocupou a Praça do conjunto Mirassol neste sábado (30/11), uma grandiosa ação de resistência ignorou o brilho da árvore de 400 mil lâmpadas e reafirmou a essência da luta por liberdade e respeito aos direitos humanos.

Por Rogério Marques

Um evento coletivo que iniciou com uma bicicletada saindo da Praça Cívica para se juntar ao Ato Humano na Praça de Mirassol com o objetivo de avançar na luta por mobilidade e justiça social.   O panelão com feijoada vegana, varal fotográfico, jogo de peteca e o papo com ciclistas encheu o apetite e o olhar humanizado sobre a cidade.

A ideia é manter a resistência viva

Não convivi com Iandé Oiran, mas aprendi a admirar a formiga em que se transformou ao carregar a utopia. “Minha mente doentia não entende como todos estão se divertindo em vitrine, em salas fechadas, gaiolas arejadas, parques de detenções”, assim pensava, como marginal por não se enquadrar nesta sociedade uniformizada, que julga, pune.

Aos 19 anos de idade, em 11 de outubo de 2009, Oiran voltava de uma viagem em sua bicicleta quando foi atropelado por um carro na BR 101, próximo a São José de Mipibu (RN). O motorista criminoso sequer prestou socorro e até o momento não foi responsabilizado. O trânsito sujo de sangue que matou Oiran Formiga assanhou um formigueiro que segue a luta de resistência contra a violência política do Estado.

“Guerras existem por interesse de pessoas
que vivem em seus escritórios, mas os que
se encontram pelo chão são nossos irmãos.”

Na citação acima, o jovem anarco-punk que utilizava a bicicleta como meio de transporte, chamava a atenção para as coisas feias que dizia ver todos os dias ao andar pelas ruas. Uma identidade essencialmente libertária, humana.

“Temos muito a caminhar, a se juntar e a construir a vida que merecemos, a cidade que queremos, o país com vidas justas e felizes para tod@s. Que nós e noss@s filh@s possam ter longevidade sem que o Estado atropele nossas existências”, afirma Gerlane, mãe de Oiran Formiga, ao agradecer a solidariedade e presença em mais um Ato Humano pela Vida.