“O que vemos é uma estabilidade com trajetória de redução marcada pela informalidade”, explicou a analista do IBGE Adriana Beringuy.

Foto – Tania Rego/Agência Brasil

A taxa de desemprego apurada pela Pnad Contínua foi a 11,6% nos três meses até outubro, de 11,8% até setembro, informou na ultima sexta-feira o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A quantidade de pessoas trabalhando por conta própria e sem carteira assinada no Brasil renovou o recorde histórico e ajudou a baixar a taxa de desemprego para o menor nível do ano no trimestre encerrado em outubro.

A realidade, desta nova escravidão do século 21, está cada vez mais presente em vários setores da economia, quando o individuo nem sequer sabe quanto ira receber no final do ano, sem um salário pré-contratado e sem ter a noção de quantas horas vai precisar trabalhar.