Por Taiana Marques

Já ouvi muito essa frase de formas diferentes: “cota é esmola”, “cota faz você se sentir excluído”…

Foto: Rogério Marques

E sempre me pego refletindo sobre a sociedade na qual estamos vivendo, principalmente nessa atual conjuntura.

Esses dias me peguei ouvindo a música Cota Não É Esmola, da Bia Ferreira, que me fez refletir mais sobre o tema.

Existe muita coisa que não te disseram na escola
Cota não é esmola!
Experimenta nascer preto na favela pra você ver!
O que rola com preto e pobre não aparece na TV
Opressão, humilhação, preconceito
A gente sabe como termina, quando começa desse jeito

Logo no primeiro trecho da música ela já deixa claro algo que sempre é importante fazer, se colocar no lugar do outro. Vivemos uma realidade onde desigualdade e preconceito ainda estão enraizados ao nosso redor, por isso ainda há tanta fome, pessoas abandonadas nas ruas, alto índice de desemprego, analfabetismo. Por isso, devemos analisar o problema como um todo, pois nem sempre todos haverá a mesma oportunidade.

Além disso, o racismo é algo ainda muito forte em nosso cotidiano. A escravidão ainda não acabou, ela nunca teve literalmente um fim. Independente da sua cor, estamos sendo escravizados a todo instante pelo sistema capitalista. Porém, o racismo ainda é muito forte e os pretos são os mais afetados em nossa sociedade, em todos os ambientes.

As oportunidades de estudo, cargos de trabalho, lazer, são totalmente diferentes, sem falar nos olhares nas ruas, sempre comparado a algo ruim. Para muitos, isso não existe mais, mas essa cultura ainda prevalece em nosso dia a dia.

Em outro refrão, uma afronta.

Experimenta nascer preto, pobre na comunidade
Cê vai ver como são diferentes as oportunidades
E nem venha me dizer que isso é vitimismo
Não bota a culpa em mim pra encobrir o seu racismo!

Aqui faço uma pergunta: Será que suas oportunidades seriam a mesma se você estivesse no lugar de um preto pobre da periferia?

Eai, você já se colocou no lugar do outro, hoje, e entendeu que cota não é esmola?

São nações escravizadas
E culturas assassinadas
É a voz que ecoa do tambor!
Chega junto, venha cá
Você também pode lutar
E aprender a respeitar
Porque o povo preto veio revolucionar
Cota não é esmola!