10

Durante todo o sábado (10/8) a Feira daFOTO reuniu profissionais e apreciadores da fotografia no Mercado Cultural de Petrópolis.
Bate-papo, oficinas, projeções e varal fotográfico, além de exposição e venda de produtos, movimentaram o dia de muita atividade em homenagem à fotografia.

O evento organizado pelo Coletivo daFoto faz parte das comemorações ao mês da fotografia, numa menção ao dia 19 de agosto de 1839, quando a Academia Francesa de Ciências anunciou mundialmente a invenção do daguerreótipo pelo francês Louis Daguerre, em 1837.

Para o fotógrafo Adrovando Claro, “Essa feira de fotografia é muito importante por que congrega a produção de fotografia de autores da cidade, que podem mostrar e comercializar seus trabalhos, apresentar seus talentos”.

Foto: Canindé Soares

Durante a manhã ele participou junto com Fernando Pereira do programa Café com Foto, mediado por Henrique José, do Mercado da Foto, que teve como tema o jornal O foco. “Era um jornal de registro que marcou época na década de 1990, é uma história que teve a sua importância e deve permanecer na memória”.

Adrovando lembrou o episódio no dia em que ele e o fotojornalista Canindé Soares, um dos idealizadores do jornal O Foco, foram até a gráfica que ficava próximo ao viaduto do Baldo para pegar o jornal, receberam os dois pacotes de 500 exemplares cada e tiveram que subir aquela ladeirinha da Cidade Alta de moto. “Era jornal pra danado”.

Um dos organizadores da Feira daFOTO, Alexandre Santos afirmou que o evento conseguiu agregar diversas especialidades. “Então, nada melhor que comemorar uma data como essa juntando fotógrafos para mostrar e comercializar o seu trabalho. Sobretudo para fomentar o mercado da fotografia no Rio Grande do Norte”, declarou, acrescentado que a fotografia no RN é muito forte. “Aí a gente formou o Coletivo daFoto, que organizou essa atividade e, quem sabe até consiga colocar essa feira no calendário da cidade”, defendeu Alexandre.

Entre tantos trabalhos expostos na feira, Imagem e Poesia é um projeto criado pelo fotógrafo Ricardo Morais, que tem a ideia de harmonizar a imagem com o texto poético. “Captar as emoções das pessoas fotografadas e contextualizar, unir as duas coisas, imagem e poesia”, declarou.