Ninguém pode nos calar

Por Rogério Marques
Foto – Taian Marques

A cada votação do texto-base da Reforma Previdência aumenta o número de vítimas de um bando de carrascos que tomam conta do Congresso Nacional. A arapuca foi armada para faturar em cima dos trabalhadores e das trabalhadoras.

Para salvar o Brasil não é preciso reformas, e sim uma revolução política, econômica e social. Jogar o luxo que compra parlamentar inútil no lixo e o povo no poder. Chega de intolerância. Chega de migalhas. Miseráveis.

A reforma da Previdência pintada por Bolsonaro e a turma do faz-de-conta é como autorizar a eutanásia e decretar a própria morte da Previdência Social, um patrimônio do povo brasileiro responsável pelo pagamento de aposentadorias, salário-maternidade, pensão por morte, auxílio-doença, entre tantos outros benefícios ora em risco.

Está claro que a votação da reforma da Previdência nada mais é do que um leilão para vender a nossa aposentadoria. Nesse jogo de cartas marcadas, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, se apresenta como o principal articulador do esquema toma-lá-dá-cá. É por isso que ele aparece chorando na televisão para depois ri fora da tela da TV.

Pensando bem… Você seria a favor do tempo de contribuição ser 40 anos para conseguir se aposentar? Da idade para se aposentar ser 65 anos para homens e 62 para mulheres? Você concorda que viúvas recebam pensões abaixo do salário mínimo?
Pois é, igualzinho a outros governantes, o capitão Bolsonaro liberou 2,6 bilhões para deputados em troca de votos para essa reforma que dificulta o trabalhador de se aposentar. A ordem é apressar a votação dos destaques e encerrar o segundo turno das votações antes do recesso da Câmara dos Deputados em 18 de julho.

Quer salvar a sua aposentadoria e tirar o país do buraco?

Diante dos últimos acontecimentos que se estenderam até as 2 horas da madrugada desta sexta-feira (12/7) no Plenário da Câmara dos Deputados, a única saída é protestar e lutar. Sabendo que estão sendo convocadas sessões extraordinárias para que seja tirada uma casquinha do texto base da reforma e aprová-la rapidinho.

Resta protestar contra um sistema parlamentar que se transformou num buraco de ratos. A usura é tanta que nem sabemos mais quem está do nosso lado. O cenário da Câmara dos Deputados durante a votação da reforma da Previdência evidencia esse banquete de endinheirados com discursos de crise.

Ninguém pode nos calar

Olho aberto povo, trabalhadora e trabalhador da cidade e do campo. Nãos somos idiotas úteis nem imbecis como nos chamou o presidente Jair Bolsonaro. A resposta a esse tolo banhado a ouro é a luta com as bandeiras históricas da classe trabalhadora na rua.

Diante de todo esse cenário, você não vai ficar aí parado, né?